Blog‎ > ‎

Análise de processos

postado em 28 de nov de 2012 04:47 por João Flávio de Freitas Almeida   [ 6 de mar de 2017 19:26 atualizado‎(s)‎ ]

Todo processo de modelagem se inicia com visitas ao campo. Este será analisado e posteriormente modelado. A atividade inicial é a de visita e é muito importante, pois permite que o analista entenda como funciona o trabalho atual. Pesquisas com operadores locais, gerentes da operação, e colaboradores permite a visão superficial do processo. A vivência no processo também é ainda mais importante. O trabalho de conhecimento não exige técnica, exige tempo e interação.


Após a atividade de conhecimento, inicia-se a atividade de documentação. Sugere-se que esta atividade seja feita após a atividade de conhecimento, e não durante esta, pois se deve documentar o que é necessário para análise e posterior modelagem. A atividade de documentação envolve coletar as saídas do processo (representado por produtos ou serviços) e organização das mesmas segundo um critério da empresa. Por exemplo, pode-se coletar a quantidade de trincas em peças de uma empresa de usinagem. Este é um critério determinado pela empresa a ser avaliado; ou o número de horas gastas para confeccionar um brinquedo em uma fábrica, entre outros.

A atividade de  documentação  permite o agrupamento dos dados, ranqueamento e comparação. Essa comparação é feita através de gráficos. Os gráficos permitem a visualização dos dados de forma facilitada. Para cada tipo de dado existem gráficos que facilitam sua visualização. Gráficos de pizza, por exemplo, são utilizados para mostrar a proporção de determinado dado diante do todo. Gráficos de barra fazem análise comparativa entre dados, gráfico de Pareto, faz o ranqueamento segundo necessidades do gestor permitindo, assim, a visualização de prioridades a serem atacadas.

https://www.planilhaideal.com.br/

O processo de análise permite a identificação e localização de falhas, para então iniciar a intervenção. A atividade de intervenção é influenciada pela análise, pois esta permite que os pontos mais importantes e críticos sejam “atacados” primeiramente.
redesenho do processo é uma consequência imediata após a intervenção no mesmo. O redesenho do processo é o projeto de como deve funcionar o processo estudado. Esta fase exige grande interação entre o analista, o gerente do processo e o operador, executor. Grandes contribuições podem vir do operador nesse momento. É ele a pessoa responsável por executar a atividade prescrita, dessa forma, este indica a viabilidade ou não da atividade prescrita ser implementada. A análise ergonômica do trabalho deve ser intensa nesse momento, tanto para adequações do posto de trabalho às dimensões antropológicas do operador, quanto para adequação psicológica deste ao seu novo ambiente de trabalho.
O processo, após implementado, deve ser monitorado. Nenhum projeto é idêntico à operação real. Dessa forma, atividades de adaptação do projeto e eliminação constante das falhas no novo processo são necessárias.

O fluxo é contínuo e qualquer alteração na prática atual deve ser revisada e incorporada ao projeto. A implementação das alterações de chão de fábrica ao projeto permite que este possa estar sempre atualizado e ser usado, realmente, como guia de ferramenta de treinamento para operadores experientes e possíveis ingressantes para melhoria de eficiência de gestão das operações. Em resumo, as atividades de análise e modelagem podem ser vista, em sequência, pelas palavras em negrito no texto.